domingo, 25 de janeiro de 2015

Fator Selva sempre presente. Ela , a ONÇA possui a mordida mais poderosa entre todos os felinos. Seeellvvva !!!!!!!!!


« Projeto Onçafari: no rastro da onça-pintada

Praticamente invisíveis, com garras afiadas e reflexos apurados. Movem-se com cautela. Calculam cada passo. Mesmo no chão repleto de folhas secas nenhum barulho é perceptível. Eles estão lá, mas é impossível avistá-los. Andam pelo ambiente como se fossem fantasmas e, quando menos se espera, partem para o ataque. Os felinos são especialistas na arte da caça e farão qualquer coisa para matar sua presa.
Os gatos são caçadores noturnos e solitários em sua maioria. Possuem grandes olhos posicionados para frente, o que permite julgar distâncias com precisão. À noite sua visão fica seis vezes mais apurada do que a nossa. Eles devem essa alta sensibilidade ao tapetum, uma membrana que fica atrás do cristalino e reflete a luz que passa pela pupila. É o brilho refletido por essa camada que vemos quando colocamos a lanterna nos olhos de um felino.
Os outros sentidos também são aguçados. Orelhas grandes, móveis e em forma de funil, captam o som de qualquer animal que esteja por perto. Bigodes altamente sensíveis e olfato apurado ajudam na navegação e permitem localizar um alvo mesmo no escuro total.
Almofadas na sola das patas ajudam a abafar o som e permitem que o predador se aproxime sem fazer barulho. A pelagem se mescla com o ambiente e dificulta a visualização (As listras de um tigre se misturam com a grama alta enquanto as rosetas de felinos encontrados em florestas imitam o efeito dos raios de luz que passam pela copa das árvores).
As garras retráteis permanecem guardadas na maior parte do tempo. Assim, elas não se desgastam e permanecem afiadas. Quando o felino precisa escalar ou agarrar uma presa, elas aparecem rapidamente em um mecanismo semelhante ao de um canivete.
Os felinos são predadores de topo de cadeia, controlam a população de presas, abatem os indivíduos mais vulneráveis, eliminam portadores de doenças e são essenciais para a manutenção de um ecossistema saudável.
Respeitados e venerados por alguns e temidos e perseguidos por outros, a maioria das espécies está em declínio. A destruição do habitat, a caça para a fabricação de medicamentos e confecção de casacos e a perseguição de fazendeiros que querem proteger seus rebanhos são as principais ameaças.
É inegável o poder que temos para mudar o mundo. Nenhuma espécie tem um controle tão grande sobre a Terra quanto os seres-humanos. Esse fato coloca sobre nós, queira gostemos ou não, uma responsabilidade gigantesca: Não é somente o nosso futuro que está em nossas mãos, mas o destinos de todas as outras criaturas com quem dividimos o planeta

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

É necessário " UU " profunda meditação ( e consequente ação ) sobre o abominavel exterminio contra Policiais Militares no Estado do Rio de Janeiro.



 

Já passou da hora , e muito, para se colocar em pauta geral e prioritária a abominável ação de extermínio cometido  contra os Policiais Militares do Estado do Rio de Janeiro.

  Solicito que inicialmente leia-se as matérias abaixo a respeito do tema, a primeira, publicada em 8 do corrente em blog próprio, de autoria do Professor, Mestre, Doutor e Coronel de Policia Militar, Jorge da Silva.   A outra de autoria da Jornalista Carla Rocha, publicada no Jornal O globo de 29 de novembro do ano passado. Ambas foram republicadas no site da AME-RJ ( Associação dos Militares Estaduais), antigo Clube dos Oficiais  da PMERJ e CBMERJ :                           

 
Morte de policiais: diferenças

Morte de policiais no Rio e em Nova Iorque

Por Jorge da Silva

Rio. Mais um PM, soldado Caio Robinson Lins, foi morto por traficantes nesta terça feira, 06/01. Desta feita, no Morro de São Carlos, comunidade da Zona Norte que conta com uma Unidade de Polícia Pacificadora – UPP. No ano findo, foram dezenas de PMs assassinados, em serviço ou de folga, mas por serem policiais. A frequência dessas mortes tem tido o efeito perverso de naturalizá-las, como se fosse mera contingência do trabalho policial. Nenhuma comoção, a não ser das famílias, dos companheiros de farda e amigos dos mortos. De uns tempos para cá, a própria mídia passou a reportá-las lateralmente, como se tratasse de assunto sem maior importância. Soldado Caio, mais uma morte na estatística… Triste.

Nova Iorque. Depois de três anos sem que um policial sequer fosse assassinado em serviço (o último caso aconteceu em dezembro de 2011), dois agentes foram mortos enquanto lanchavam dentro da viatura, fato que causou comoção nacional, como mostrado mundialmente na TV nos últimos dias. Foram mortos de surpresa por um indivíduo com passagens pela policia, negro, que prometera no Instagram vingar as mortes de dois negros, Michael Brown, pela polícia de Ferguson, e Eric Garner, pela de Nova Iorque, em dois casos que provocaram revolta, alegadamente por dois motivos: primeiro porque Brown, desarmado, foi morto a tiros, e Garner, também desarmado, teria sido morto em consequência de excesso de força dos policiais, por estrangulamento; e segundo, porque, nos dois casos, os policiais envolvidos, brancos, não foram indiciados pelo ‘grand jury’.

Não é o caso de comparar sociedades, mas Nova Iorque e Rio de Janeiro não são tão diferentes a ponto de a abissal discrepância não despertar a atenção dos estudiosos da segurança pública e de analistas sociais em geral, sobretudo os da mídia. Uma pergunta poderia ser ponto de partida: por que tamanha matança no Rio de Janeiro (não só de policiais…)? E por que isso não acontece em Nova Iorque?

Jorge da Silva é Doutor em Ciências Sociais pela UERJ, Coronel da Reserva da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro e Sócio da AME/RJ.

https://images-blogger-opensocial.googleusercontent.com/gadgets/proxy?url=http%3A%2F%2Fwww.ameriodejaneiro.com.br%2Fimagens%2Fflecha.gif&container=blogger&gadget=a&rewriteMime=image%2F*08.01

 

 

 

 


Coluna

Panorama CariocaCarla Rocha rocha@oglobo.com.br







29/11/2014 6:00

Joga pedra na Geni

O policial militar é a Geni, ele é feito para apanhar, ele é bom de cuspir. Maldito, o PM é alvo de tudo que é nego torto, do mangue e do cais do porto. Em vida, nós o queremos em grupos no patrulhamento ostensivo, mas à noite, meu amigo, melhor não cruzar com um deles numa rua escura. Se é morto por bandidos, restam ao PM as honras militares e as lágrimas da viúva. Se tanto. Pode ser o melhor ser humano do mundo, mas parece que o simples fato de ser policial corrompe suas possibilidades de ser visto como um cidadão de bem. Nós não choramos a morte de um PM, as ONGs de direitos humanos não se levantam em defesa de um tira. É uma alma sem luz, que sobe aos céus ou desce ao inferno — se a mítica popular prevalecer é quase certo que desça — sem um pesar ou uma oração. Mas não esqueçam que a Geni vive numa cidade de horror e iniquidade.

Não estou aqui para defender policial. Como jornalista, fiz nos últimos anos inúmeras denúncias contra maus policiais, um sem-número deles ligados ao jogo do bicho, à prostituição, a grupos de extermínio. Só para citar alguns crimes a que eles historicamente se associam, porque não há aqui tempo ou espaço hábil para me estender sobre o Código Penal inteiro. Mas nunca perdi a perspectiva de que ser policial, na acepção mais pura da profissão, é uma grande responsabilidade que pesa sobre servidores mal pagos, maltratados e malvistos. E nenhum zepelim gigante virá salvá-los — como também não virá nos salvar. ( Continua-( etc. )  Obs O texto completo está disponível no site do Clube dos Oficiais da PMERJ e CBMERJ.  ( AME-RJ)

 
Após a leitura, atrevo-me a tecer alguns comentários em rápido e informalíssimo ensaio,  como Chefe Policial Militar que fui e  Policial Militar que sou, de acordo com o aprendido nas Escolas Policiais Militares sobre preparação, alinhamento intelectual e elaboração de processo decisório, alicerçando esse atrevimento no tópico do blog do Cel Jorge da Silva em que "convida para o debate todos aqueles que tenham dúvidas quanto às suas certezas", o que é, e creio que sempre será o meu caso.


 
1.  Resumo pontual do texto do Cel Jorge:

 

 .Morre mais um PM de maneira violenta;

.Mais uma vez em "território pacificado";

.Durante o ano ( somente em 2014) dezenas de Policiais Militares foram assassinados ( de serviço ou de folga, apenas por serem Policiais Militares. (  A sangrenta cifra de quase trezentos Policiais Militares baleados foram consignados em estatísticas confiáveis);

.Não há mais comoção com a morte de Policiais Militares,( apenas os mais chegados ainda choram  e se indignam);

.Nem a mídia dá mais importância a chacina regular e interminável de Policiais Militares;

.Em Nova York é diferente, após a última morte de Policial, em 2011, morreram por balas criminosas, recentemente, dois Policiais que estavam lanchando em sua viatura oficial;

.O caso mereceu comoção nacional;

. Embora não compare sociedades, fica a pergunta, por que a matança no Rio de Janeiro, de maneira geral  e por que isso não acontece em Nova York ?????

 

 

2. Resumo pontual do texto da Jornalista Carla Rocha:

.O PM é a Geny brasileira ( aliás, o Cel Jorge da Silva em varias matérias anteriores usa essa comparação);

.De dia os queremos em patrulhamento mas a noite fujam deles ( dos PM );

.Somente as lágrimas da viúva aparecem quando um PM é morto ( além das honras militares);

.Parece que pelo simples fato de ser policial isso sempre o impedirá de ser visto como um cidadão de bem;

 Ninguém chora a morte de um PM, nem as ONG de Direitos Humanos;

.O PM seria uma alma sem luz, sendo quase certo que sua alma descerá ao inferno;

.Tem um medo terrível de dizer que estaria defendendo um policial ( Ué , e se ele estiver certo, nem assim ? );

. Ser Policial do bem, é uma grande responsabilidade, sendo eles mal pagos, maltratados e malvistos;

.Somente naquela semana dois Policiais Militares  foram assassinados. Até novembro 17 teriam sido assassinados em serviço, 85 de folga e 256 baleados;

.O assassinato de agentes da lei podem nos ameaçar enquanto sociedade. O assassinato de um Policial é uma ação contra o Estado, e o Estado somos nós;

.Nos anos 60 a máfia italiana matou sete Policiais e alguns Militares. A Policia prendeu mais de 200 mafiosos e a Cosa Nostra deixou de existir em Palermo;

. Cabe a nós e ao Estado dar uma resposta. Talvez em uma Policia confiável e eficiente morressem menos Policiais. Uma das teses é que em uma Policia com menos desvios de conduta talvez menos Policiais fossem executados;

.Mesmo com mudanças profundas na Policias e na forma como a vemos, tem a clareza de que dificilmente adotaríamos um dia a causa de Policiais assassinados, tipo um somos todos PM ( somos todos Amarildos);

.É necessário refundar a PM, com outras bases de valores, antes que sejamos todos Geny.......

   
 
3. Analise/Posicionamento/conclusão após apreciação dos elementos elaborados acima:

. Infelizmente ouso vaticinar que nos  quadro passados e atual, os Policiais Militares eram, são e continuarão sendo executados friamente por criminosos violentos, a maioria portando armas e artefatos  de guerra, contrabandeadas pelas fronteiras secas, molhadas e aéreas, Portos , Aeroportos e Estradas Federais, tudo administrado pelo motor da criminalidade violenta em nosso Estado, o trafico organizado de drogas.  Essas armas não matam Policiais Federais, Policiais Rodoviários Federais, raramente matam Policiais Civis, e nunca matam Juízes,  Desembargadores, Promotores, Procuradores, Políticos, Defensores Públicos, Agentes Penitenciários, etc. Só matam PM, só matam a classe que permite com sua diuturna ação o funcionamento de todo o Sistema Criminal Estadual e Nacional, mas que cinicamente é considerado como se dele não fizesse parte. Não estudar o tema morte de PM colocando na mesa o contrabando vergonhoso de armas de guerra em nosso Pais e Estado creio ser "tergiversar na oitiva". Não existe guerra sem armas, não existe vontade permanente de matar sem armas, e quanto mais poderosas forem, mais mortes, mais poder, mais dinheiro, mais mortes. Com igual importância deverá ser tratada a vergonhosa facilidade de obtenção de munição para essas armas de guerra. São também contrabandeadas ou são fabricadas em território nacional ???

. A legislação é frouxa, além de frouxa é  mal aplicada. Se todo o Sistema Criminal, isto é, Persecução Criminal, Juízo, Defensoria, Policias , Sistema Penitenciário, existe baseado no principio finalista da pena. A pena educa, a pena segrega, a pena dissuade do cometimento de outros crimes, etc, então a pena contra crimes cometidos contra Agentes da Lei, teria que ser infinitamente maior e aplicada sempre com o máximo rigor. Que nossos Chefes cada vez mais se unam para exigirem junto ao poder político a mudança da legislação;

 

.Se ninguém mais ( o sistema) chora a morte do PM, se só a mãe do PM chora a morte do PM, então a Corporação PM tem que chorar o dobro, o triplo, o quadruplo, etc. Se a PM está sozinha nesta luta, ela tem que se unir, em âmbito Estadual e Nacional. por questão de absoluta sobrevivência. Ninguém mais dorme, ninguém mais descansa, enquanto o criminoso violento permanecer cinicamente dono de sua vontade e a cavaleiro de cada vez maiores oportunidades  em sua também  cada vez mais habitual sanha assassina de exterminar Policiais Militares. A lei, mesmo frouxa e desatualizada,  está de nosso lado. É só cumpri-la. Confúcio já dizia há milhares de anos, que" a Policia tem que ser respeitada pelo Povo, e temida pelo criminoso";

Não creio que a alma do PM vá sempre para o inferno. Temos mazelas internas sim, tratamos delas constantemente com desvelo profissional. Habitualmente cortamos na própria carne com sofrimento mas com firmeza. Infelizmente um percentual de nós, é sim voltada ao cometimento de malfeitos, mas creio que não é maior proporcionalmente que os  malfeitores de outras classes de servidores públicos ou privados. E mais, não somos recrutados em Vênus, em Marte ou Saturno. Somos oriundos da miríade  miscigenada que dá forma à sociedade brasileira;

A vulgarização do evento morte por parte das Policias não pode deixar de ser estudada sob o ponto de vista cultural/profissional/ legal.. Um profissional que é caçado até em seus momentos de folga, passa a trazer dentro de si uma forma quase padrão  de procedimento, até, mesmo por questão de natural autodefesa. Um criminoso violento armado com arma de guerra e munição sem limite, que tem seu comparsa morto pela Policia e sabe que a qualquer momento pode ser ele, também trará dentro de si esse sentimento de eliminar por autodefesa. A roda passa a  girar eternamente. Como pará-la ?  Creio que, em um estado democrático de direito,  somente através da lei, somente através da lei e das atitudes do sistema em razão dela. O Policial tem que entender através da lei que não mais precisará matar o criminoso, que o sistema está do seu lado, que prender o criminoso é o ápice de sua conduta. Que a partir dai tudo funcionará. O criminoso tem que temer a ação da lei, pois se matar um agente da lei, permanecerá segregado em um Estabelecimento de Segurança Máxima, talvez toda a sua vida;

.Até que se prove em contrario o Policial Militar é um cidadão de bem sim, vive para sua família e de seu trabalho. Protege diuturnamente as famílias de todos. O assassinato de um Policial é uma ação  contra o Estado sim. O Policial Militar é o braço armado do Estado. Braço este acordado e presente diuturnamente em todo e qualquer metro quadrado de mais de oito milhões de quilômetros quadrados de nosso Pais;

Não fujam dos PM à noite. Quantas e quantas vezes damos aquele suspiro de alivio quando em madrugadas sinistras passamos e ás vezes até paramos perto de uma viatura policial, mesmo que não tenhamos problemas sérios nenhum, apenas pela sensação de bem estar e segurança que isso nos traz. Alias , quanto a isso existe uma crônica magistral da Jornalista Raquel de Queiróz;

.A Policia de Palermo prendeu mais de 200 mafiosos, a nossa prende mais de 1000 criminosos, muito mais que isso, todo mês;

. Acredito que se conseguíssemos diminuir os desvios de conduta na Corporação, teríamos menos PM executados. Mas veja bem que profissão danada de difícil a nossa. Agentes públicos praticam com uma regularidade assustadora, desvios de conduta terríveis ao longo de intermináveis anos.  Roubam e se locupletam ( a si e a todas as suas gerações nos próximos, no mínimo 100 anos ) milhões e milhões de reais/ dólares do imposto/tesouro público e nem por isso são executados com a regularidade automática  em que são executados os PM desviados. São apenas processados e presos, quando são,  e não executados com armas de guerra;

.

.Precisaríamos ter a oportunidade de atualizarmos os conhecimentos a respeito da Policia , do Povo, da geografia, da economia, do criminoso e do crime,  e das leis de   Nova York, para comentarmos. Temos que encontrar a fórmula que eles encontraram para, mesmo sendo uma sociedade extremamente belicista, o Policial não morrer regularmente por ser Policial e nem matar com igual regularidade que induza a uma permanente retroalimentação da roda macabra.  Mas uma coisa tenho certeza, a de  que exercer a profissão de Policial, e principalmente a de Policial Ostensivo aqui no Brasil/ RJ é muito mais difícil que em Nova York, isso é;

 .

.Creio também que antes de pensar em refundar a PM, teríamos que refundar a Sociedade. Afinal a " Policia é o termômetro que mede o grau de civilização de um Povo", assim creio que se a sociedade melhorar, a Policia melhorará com ela.

 

 

Vivvvaa    a PPPMMMM !!!!!!!

 

Quarteis de Forças Armadas podem ser vendidos, de Policia não.

Quarteis de Forças Armadas podem ser vendidos , de Policia NÃO. Afinal ao longo da historia o inimigo pode se deslocar para outras zonas de fronteiras, e as FA devem concentrar efetivo nessas novas áreas de tensão. ( Tal fato, ocorre neste século na Amazônia por exemplo). Ocorre que o inimigo da Policia, seja de que modalidade for,  o criminoso, está dentro de nosso território. A mancha criminal pode se deslocar para qualquer lugar internamente, sem necessariamente deixar de atuar nas áreas anteriores, isto é o criminoso pode estar em qualquer local de nosso Estado, diuturnamente, entra ano, sai ano. Dai não podermos nos desfazer de qualquer patrimônio operacional de Policia, e sim cada vez mais aumentar este patrimônio, em busca de um cada vez maior estreitamento dos nós da  malha policial. Dai agradeço ao nobre Oficial da PM de Brasilia, Ten Ronaldo, filho de nosso Cel Granja , o qual postou algumas fotos de nossa saudosa EsFO ( Escola de Formação de Oficiais), ocasião em que teço comentários  afins. 



Obrigado Ronaldo VG Jr. Essa é a Célula mater da "Gendarme" Fluminense. Berço de Heróis da Ordem Publica. Solo sagrado onde funcionava a EsFO ( Escola de Formação de Oficiais) da Policia Militar do antigo Estado do Rio de Janeiro. Forja de Treme-Terras. Diariamente o Governador Amaral Peixoto, seu fundador, dispara de sua tumba naval, urros de dor e de decepção contra aqueles que venderam este patrimônio histórico por 150 moedas. Moedas essas às quais toda a Tropa está ansiosa para saber quando serão utilizadas na construção da nova Sede da ESPM ( Escola Superior de Policia Militar), destruída e calcinada naquele sitio histórico, para dar lugar a um pátio de contêineres, sem alma.   Até quando nossa Casa de profundo saber Policial, nossa Casa de Doutoramento de nossos " Generais de Policia", continuará a se chamar " ESMA " ( Escola Superior do Moinho Atlântico)???. Seeeeeeellvvvaaa !!!!! Viva a PPPMMM!!!!!
Ver mais
Ronaldo VG Jr. adicionou 9 novas fotos.
PMRJ (treme-terra) Aspirantes 1967. Turma CEL José Bismarck de Souza. Turma do meu pai

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Feliz ano novo/ " Eu tenho um sonho".

Viva o ano novo, que venha 2015. Eu continuo "tendo um sonho". Que o ducentésimo sexto ano de existência proba, digna e insubstituivel da PMERJ mais uma vez se espraie por todo território fluminense, sem discriminações econômicas, raciais ou de origem. Que seus heróis sociais, seus Soldados, Cabos, Sargentos, Subtenentes e Oficiais sejam tratados e reconhecidos como os  reais guardiães da Sociedade. Que um escudo protetor divino guarde cada Gendarme de nossa Instituição. Que a voz cordial mas com autoridade, que  o benfazejo sinal inicial de seu bastão policial, que a ação imobilizadora do aço inexpugnável de suas algemas , o ardente e penetrante fogo de suas armas e o amolado e justo  fio de suas espadas, cada vez mais se abatam sobre as cabeças daqueles que teimam em não respeitarem as leis nem o próximo. E finalmente que o nono circulo do inferno continue guardando vagas para os insistentes traidores institucionais que despudoradamente obstinam-se em desonrá-la, desmorarizá-la, descaracteriza-la, despi-la de suas legais prerrogativas, tentando retira-la de seu legitimo pedestal bi-centenário de Rainha das Ruas. Seellvvaa e viva a PPPMMMM!!!!!!!!!!